Na Outra Margem 27/06/2012

Com um recital marcado para esta quinta-feira, 28 de Junho, no Festival de Sintra, em que vão interpretar sonatas de Beethoven e Brahms, o violinista Bruno Monteiro e o pianista João Paulo Santos viram recentemente publicado um CD monográfico de Ernest Chausson, o segundo que gravaram para a etiqueta americana Centaur, com a participação do Quarteto Lopes-Graça. Tópicos para abordar com o violinista, na primeira parte do programa. Na segunda, uma antevisão do Festival do Estoril, que decorre a partir de 4 de Julho, numa conversa com o director artístico, Piñeiro Nagy, em que se fala sobre a vocação inovadora e inclusiva do festival, as vertentes do certame adiadas nesta edição sob os efeitos da crise e a programação em si – de que se destaca, a 12 de Julho, o concerto em que o Quarteto de Cordas de Matosinhos vai tocar, no Instituto Superior Técnico, a integral dos quartetos de António Pinho Vargas, com a estreia absoluta do Quarteto nº 3, encomendado pelo IST.

Ouvir em podcast:

Parte 1                                 Parte 2

Na Outra Margem 23/06/2012

Foto: Sofia Macedo

Entre 11 e 16 de Junho, a Orquestra e o Grande Auditório Gulbenkian estiveram entregues a Luís Tinoco para a gravação do seu segundo CD monográfico, com edição programada para 2013 pela Naxos. Um projecto desenvolvido com a cumplicidade do maestro David Alan Miller, que encomendou uma das obras gravadas e que para este registo trabalhou com a Orquestra Gulbenkian e com as três solistas, as sopranos Ana Quintans, Raquel Camarinha e Yeree Suh. Luís Tinoco está esta semana Na Outra Margem, para falar sobre este empreendimento, parcialmente financiado com recurso ao “crowdfunding”, sobre compor em torno de textos em português e noutras línguas e sobre o projecto que tem presentemente em mãos, uma obra encomendada da Radio France para ser tocada por uma orquestra espacializada.
Na 3ª parte do programa, destaca-se também o concerto de encerramento do Festival Terras Sem Sombra, este sábado, às 21h30, na Basílica Real de Castro Verde, em que se dá a estreia moderna da oratória de Gaetano Pugnani La Betulia Liberata, cuja partitura, com dedicatória à Rainha D. Maria I, foi descoberta na Biblioteca do Palácio Nacional da Ajuda pelo director do festival, Paolo Pinamonti.

Ouvir em podcast:

Parte 1                    Parte 2                       Parte 3

Na Outra Margem 13/06/2012

Fotos retiradas daqui e daqui

Entre 16 e 19 de Junho, em diversos espaços da zona de Belém, o Festival Coral de Verão, evento inserido nas Festas de Lisboa, agrega 12 coros portugueses e estrangeiros, que participam numa competição e oferecem concertos – como o final, em que vão ser ouvidas obras de Eurico Carrapatoso e João Rodrigues Esteves, e o de abertura, com a primeira audição  em Portugal da reconstituição que Robert D. Levin fez do Requiem de Mozart. Na semana seguinte, entre 26 e 28, no Seminário de Alfragide, na Igreja do Loreto e no Instituto Piaget, a Sinfonietta de Lisboa apresenta um programa que inclui obras de quatro compositores portugueses (Miguel Teixeira, Emídio Coutinho, Lea Brooklyn e Carlos Garcia), a anteceder um outro que em Julho vai levar ao Festival ao Largo, com música de Bernardo Sassetti e Pedro Jóia. Dois tópicos de uma conversa com os respectivos directores artísticos, Paulo Lourenço e Vasco Pearce de Azevedo, que aborda também a realidade actual da música coral no nosso país.

Ouvir em podcast:

Parte 1                                       Parte 2

Na Outra Margem 06/06/2012

Foto. Eurico Carrapatoso

Uma longa carreira dedicada ao piano, divergente dos trajectos tradicionais, abordando repertórios que incluem música portuguesa. Por entre uma extensa discografia, gravou Carlos Seixas, Francisco de Lacerda, Jorge Peixinho e Fernando Lopes Graça – retornando a este no seu novo CD-duplo, monográfico, que inclui quatro obras do compositor tomarense, três das quais nunca antes registadas, entre elas o histórico Canto de Amor e de Morte, na versão original. A razão para a abordagem desta obra que Lopes Graça não queria que fosse tocada é o ponto de partida para uma saborosa conversa com o pianista brasileiro José Eduardo Martins, em que se fala do seu percurso e opções artísticas, de música portuguesa e brasileira e da dupla  digressão que o traz de regresso ao nosso país, ao lado da mulher, a pianista Regina Normanha Martins, para recitais e workshops com repertório de compositores nacionais. Entre 31 de Maio e 18 de Junho, em Lisboa, Évora, Tomar e Braga, o pianista tem vindo a apresentar o novo CD e, em estreia absoluta, duas obras de Eurico Carrapatoso e João Francisco Nascimento.

Ouvir em podcast:

Parte 1                 Parte 2

 

José Eduardo Martins na estreia de Missa sem Palavras, de Eurico Carrapatoso, no passado sábado, em Évora.