Na Outra Margem 07/02/2013

Orquestra Sinfonica Portuguesa

Uma história com vinte anos, começada a 9 de Fevereiro de 1993: a Orquestra Sinfónica Portuguesa, agregada ao Teatro Nacional de São Carlos e desde 2011 sem maestro titular, celebra o aniversário com um conjunto de iniciativas a ter lugar no nosso teatro de ópera e noutros espaços de Lisboa. Após um concerto lírico com Elisabete Matos, realizado no passado dia 2, e a anteceder vários outros concertos com a OSP ou com agrupamentos de câmara constituídos no seu seio, o dia da efeméride é comemorado, às 21h, com um concerto sinfónico dirigido pelo maestro Rui Pinheiro, iniciado com a estreia absoluta da Abertura Festiva de Luís Tinoco, encomendada ao compositor para a ocasião, e em que se ouvirá também a monumental Sinfonia nº 5, Africana, de Joly Braga Santos, e o Concerto nº 2 para Piano de Brahms, com o solista Artur Pizarro. Neste Na Outra Margem vamos até São Carlos, para um conversa com a violoncelista Irene Lima e o contrabaixista Pedro Wallenstein, chefes de naipe da OSP e co-organizadores do programa comemorativo.

Ouvir em podcast.

Na Outra Margem 27/09/2012

Entre 27 e 29 de Setembro, a Fundação Calouste Gulbenkian volta a acolher o Festival Jovens Músicos, na 2ª edição deste evento que culmina, com vários concertos, debates e lançamentos, o Prémio Jovens Músicos da Antena 2. A actuação dos laureados e escolha do Jovem Músico do Ano, que tocará no concerto de gala no sábado, a estreia absoluta, nesse mesmo concerto, duma obra de Sérgio Azevedo, Erasing Mahler, ao lado da reposição da obra que a Gulbenkian encomendou a Fernando Lopes Graça (Sinfonieta – Homenagem a Haydn), o concerto de música antiga em que o Divino Sospiro dará a ouvir, em estreia, a obra distinguida no prémio SPA/Antena 2 (O Que Será do Rio Without John Cage, de Nuno da Rocha) e uma ária de Pedro António Avondano, além das actuações de antigos laureados do PJM e concertos pela Orquestra de Câmara Portuguesa e pela Orquestra Jazz de Matosinhos – uma programação imparável, que mede o pulso à vitalidade e qualidade da música que se faz em Portugal e dos seus jovens valores. O centro duma conversa com o director artístico do Prémio, Luís Tinoco, em que participa Sérgio Azevedo.

Na 3ª parte do programa, o flautista e professor Francisco Rosado fala sobre o Encontro de Música Antiga de Loulé, que dirige e cuja 14ª edição começa neste sábado e decorre até 13 de Outubro.

Ouvir em pocast:

Parte 1                                Parte 2                                  Parte 3

Na Outra Margem 23/06/2012

Foto: Sofia Macedo

Entre 11 e 16 de Junho, a Orquestra e o Grande Auditório Gulbenkian estiveram entregues a Luís Tinoco para a gravação do seu segundo CD monográfico, com edição programada para 2013 pela Naxos. Um projecto desenvolvido com a cumplicidade do maestro David Alan Miller, que encomendou uma das obras gravadas e que para este registo trabalhou com a Orquestra Gulbenkian e com as três solistas, as sopranos Ana Quintans, Raquel Camarinha e Yeree Suh. Luís Tinoco está esta semana Na Outra Margem, para falar sobre este empreendimento, parcialmente financiado com recurso ao “crowdfunding”, sobre compor em torno de textos em português e noutras línguas e sobre o projecto que tem presentemente em mãos, uma obra encomendada da Radio France para ser tocada por uma orquestra espacializada.
Na 3ª parte do programa, destaca-se também o concerto de encerramento do Festival Terras Sem Sombra, este sábado, às 21h30, na Basílica Real de Castro Verde, em que se dá a estreia moderna da oratória de Gaetano Pugnani La Betulia Liberata, cuja partitura, com dedicatória à Rainha D. Maria I, foi descoberta na Biblioteca do Palácio Nacional da Ajuda pelo director do festival, Paolo Pinamonti.

Ouvir em podcast:

Parte 1                    Parte 2                       Parte 3